• Dra. Fabiola Monaco

Abordagens psicopedagógicas: diferentes profissionais e diferentes trabalhos


São várias as abordagens teóricas que embasam e caracterizam a maneira como o psicopedagogo atua. Dependendo da linha teórica com que o profissional se identifica e especializa, haverá uma forma diferente de trabalho. Isso significa diferenças nos aspectos que enfatiza, nas técnicas de diagnóstico empregadas, na maneira como interpreta os dados e até na sistemática de intervenção (os tipos de propostas, de materiais que utiliza e de atividades que desenvolve). Há, por exemplo, a abordagem cognitivista, a sistêmica, a linha convergente, dentre outras.

Os psicopedagogos cognitivistas, concentram-se nos aspectos de desenvolvimento das estruturas do pensamento lógico e suas relações com a linguagem. Sua abordagem de trabalho enfoca os processos de socialização e de interação entre pessoas e delas com o ambiente social e cultural. Entre as estratégias e materiais mais utilizados estão os jogos lógicos e as provas piagetianas.

Já os psicopedagogos que atuam na vertente sistêmica, olham o fenômeno da aprendizagem sempre associado a um conjunto de fatores que se inter-relacionam dando origem a um contexto que se estrutura de forma organizada: os sistemas (a escola, a família, a sociedade, a cultura etc., os diferentes papéis sociais vivenciados e as implicações de todos esses subsistemas entre si). Entre as estratégias e recursos mais utilizados estão a escuta aos envolvidos, com destaque à família e os elementos da Psicanálise e do Psicodrama.

Os psicopedagogos que seguem a linha convergente, por sua vez, compreendem a aprendizagem na convergência de fatores cognitivos, afetivos e sociais: maturidade cognitiva, autoimagem, desejo(s), valores, subjetividade e suas relações com o meio social, cultural e consigo mesmo. Entre as estratégias e materiais mais utilizados estão: provas piagetianas, jogos lógicos, a entrevista operativa centrada na aprendizagem. caixa de areia (instrumento psicanalítico), a caixa de trabalho.

Portanto, ao procurar um psicopedagogo, é interessante conversar com ele não apenas sobre o que você busca em seu consultório, mas também para se informar sobre sua linha teórica, sua sistemática de trabalho e os serviços oferecidos por ele, refletindo sempre sobre tais características e as necessidades educativas em questão.



Para se aprofundar:

CHAMAT, Leila S. J. Técnicas de diagnóstico psicopedagógico: o diagnóstico clínico na abordagem interacionista. São Paulo: Vetor. 2004.

INHELDER, B. et. Al. Aprendizagens e estruturas do conhecimento. São Paulo: Saraiva, 1997.

PUHAKKA, Kaisa. Aplicações da Psicologia Cognitiva. In: FADIMAN, James;FRAGER, Robert. Personalidade e Crescimento Pessoal. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 315- 326.

VISCA, J. Clínica psicopedagógica – epistemologia convergente. São José dos Camplos: Pulso Editorial, 2010.

R. Mal. Deodoro, 2722 - Centro, São Carlos - SP, 13560-200, Brasil

Copyright © 2018  Efficiens (efficiens.com.br)

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now